Papo Trabalhista

- 28/09/21

Queda do número de rescisões de contratos de trabalho por comum acordo

Na série Papo Trabalhista deste mês, já falamos sobre o que é a rescisão por comum acordo entre empregado e empregador, os principais pontos de atenção na rescisão do contrato de trabalho por comum acordo, além das principais tendências legislativas e da jurisprudência envolvendo o assunto.

Na última semana do Papo Trabalhista deste mês, trazemos alguns dados sobre a queda do número de rescisões de contratos de trabalho por comum acordo. Mostramos também quais foram os setores da economia que mais rescindiram os contratos de trabalho dos seus empregados por comum acordo em 2020.

1. QUEDA DO NÚMERO DE RESCISÕES DE CONTRATOS DE TRABALHO POR COMUM ACORDO

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (“CAGED”), em 2019, foram registradas 220.579 rescisões de contratos de trabalho por comum acordo. Já em 2020, foram registradas 176.376 rescisões de contratos de trabalho nessa modalidade, demonstrando queda nesse tipo de rescisão em relação ao ano anterior.

O número de rescisões de contratos de trabalho por comum acordo em 2020 correspondeu a 1,17% de todas as modalidades de rescisões existentes, como sem justa causa, por justa causa e pedido de demissão.

2. PRINCIPAIS SETORES DA ECONOMIA QUE RESCINDIRAM OS CONTRATOS DE TRABALHO DOS SEUS EMPREGADOS POR COMUM ACORDO EM 2020

De acordo com o CAGED, o setor de serviços foi o que mais registrou rescisões de contratos de trabalho por comum acordo, totalizando 88.794 rescisões realizadas nesta modalidade. Já o setor do comércio vem em segundo lugar, com 39.758 rescisões.

ACHOU O ASSUNTO INTERESSANTE?

Consulte também outros posts da série Papo Trabalhista sobre o tema rescisão do contrato de trabalho por comum acordo já publicados pelo Sperling Advogados: